Propagandas de bebidas alcoólicas influenciam os jovens a beber?

O artigo que transcrevo abaixo foi publicado a partir de três estudos financiados pelo NIAAA - National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism (www.niaaa.nih.gov) dos Estado Unidos e que foram apresentados no simpósio anual da Research Society on Alcoholism em 2001, no Canadá.

O assunto é bastante interessante, polêmico e atual já que vivemos um momento em que a proibição das propagandas de bebidas alcoólicas está sendo defendida por grupos políticos e membros da comunidade científica na tentativa de se proteger o usuário e a sociedade do uso abusivo do álcool. Vale a pena conferir:

Introdução
Há uma crença de que a propaganda seja uma das causas da iniciação do consumo do álcool entre adolescentes e um importante fator para a continuação deste consumo. Essa crença se dá, em parte, por supor-se que a propaganda seja eficaz para estas finalidades, caso contrário, a indústria de álcool não investiria bilhões de dólares por ano em campanhas publicitárias. No entanto, pesquisas sobre o impacto das propagandas do álcool sobre o comportamento dos jovens ainda são bastante limitadas (Atkin, 1995), e os achados encontrados, pouco consistentes (Martin, 1995).

Pouco se sabe sobre os verdadeiros mecanismos pelos quais a publicidade influenciaria o uso de bebidas pelos jovens. Por quase uma década, o NIAAA se preocupou com os efeitos da mídia na iniciação e continuidade do consumo de álcool entre os jovens e devido a isto, alguns estudos foram desenvolvidos.

Em 1997, a propaganda de bebidas destiladas deixou de ser proibida e em resposta a isso, foi realizado um estudo com o incentivo do NIAAA a fim de se investigar o efeito da implementação da publicidade de bebidas destiladas na televisão e seu impacto em menores de 27 anos.

Em setembro de 1998, o NIAAA financiou outros projetos de pesquisa que tinham como objetivo mensurar os efeitos a curto e longo prazo das propagandas de bebidas alcoólicas e de responder se estas contribuem para a iniciação, continuação e quantidade de álcool ingerido pelos jovens.

As expectativas em relação ao consumo do álcool por parte dos jovens e outras variáveis como personalidade, histórico familiar e quantidade de bebida consumida também foram estudadas.

Embora os estudos apresentem objetivos semelhantes eles diferem quanto a idade, grupo étnico e localidade de origem dos indivíduos estudados a fim de melhorar a confiabilidade dos resultados obtidos.

O Efeito dos Anúncios de Álcool em Jovens de 15 a 26 Anos
Leslie Snyder, Mark Hamilton, Fran Fleming-Milici, e Michael D. Slater

Uma análise de dados gerados em 1997 evidenciou que:
- A maioria dos gastos com a publicidade de bebidas alcoólicas é feita na televisão, sendo que, os anúncios de cerveja constituem a maior parte.
- Quase todos os anúncios de cerveja são lançados durante os programas de esporte (metade dos anúncios de cerveja saem na televisão aos sábados ou domingos, durante os eventos esportivos vespertinos que atingem o público jovem e infantil).
- Aproximadamente um terço dos anúncios americanos de cerveja são colocados no ar nos horários nobres, das 20h00 às 23h00 (Snyder et al.,2000).
- Mais de 1 bilhão de dólares é gasto com as propagandas de bebidas alcoólicas a cada ano (Snyder et al., 2000).

Desde o fim da proibição em 1996, os anúncios de bebidas destiladas tomaram conta da maioria das revistas e outdoors de ônibus, metrôs e lugares públicos dos Estados Unidos e, com isto, a exposição dos jovens a esses anúncios aumentou significativamente, sem contar que a maioria deles foi lançada em revistas com grande visibilidade entre os jovens tais como: Sports Illustrated, Rolling Stone, Entertainment Weekly, Newsweek, and Playboy (Snyder et Al., 2000).

Os anúncios de bebidas destiladas foram lançados em outros meios de comunicação como a televisão e o rádio, embora os gastos totais com este tipo de propaganda tenham sido e continuam sendo consideravelmente menores do que os da indústria da cerveja.

Segundo os autores, devemos considerar que, além dos anúncios de bebidas estarem aumentando nos diversos meios de comunicação, novos tipos e marcas de bebidas destiladas chegam ao mercado a cada ano, o que deve aumentar ainda mais a exposição dos jovens ao uso do álcool.

Os anúncios de bebidas alcoólicas são percebidos pelos jovens?
Para se determinar a exposição aos anúncios de álcool e seus efeitos entre os jovens, foram entrevistados 1800 jovens entre 15 e 26 anos, por telefone, em três momentos (maio de 1999, dezembro de 1999, e maio de 2000).

Os jovens foram perguntados quanto ao número de propagandas de cerveja, vinho, e/ou bebidas destiladas que eles recordavam ter visto nas últimas 4 semanas. Os resultados encontrados foram:

- O número médio de anúncios vistos, por toda mídia, foi de quase 30.
- Os jovens referiram ter visto mais anúncios na televisão, em seguida no rádio e por fim em revistas e outdoors.
- Os anúncios de cerveja e bebidas destiladas também foram mais citados do que os de vinho.

As propagandas de bebidas alcoólicas afetam os jovens?
Um modelo simples de publicidade de bebidas alcoólicas leva em consideração que quanto maior o número de propagandas disponíveis, maior o número de pessoas expostas à publicidade do álcool e consequentemente maior o consumo do álcool. Para se verificar esta hipótese, a influência dos anúncios de álcool no consumo entre os jovens, comparou-se localidades diversas com quantidades diferentes de propagandas de bebidas alcoólicas na mídia.

Os anúncios de álcool levam ao uso de bebidas alcoólicas ou o uso de bebidas alcoólicas alimenta a publicidade do álcool?
É possível que os jovens bebam mais porque os anúncios estimulam o desejo de beber. Porém, é também possível que os jovens bebedores prestem mais atenção para anúncios de álcool.

Método do estudo
Foram registradas todas as propagandas de bebidas alcoólicas que saíram na televisão, rádio, jornais, e outdoors nos 6 meses anteriores à entrevista. A exposição foi medida através de uma bateria de questões referentes a percepção dos jovens aos anúncios de cerveja e bebidas destiladas nas últimas 4 semanas. O uso de álcool foi medido combinando-se a freqüência, quantidade, e quantidade máxima ingerida de bebidas alcoólicas nas últimas 4 semanas ou 6 meses para bebedores esporádicos.

Os resultados indicaram que houve uma pequena relação entre uma maior quantidade de anúncios de bebidas que saíram na mídia e a percepção destes por parte dos jovens, assim como, houve um pequeno aumento no consumo do álcool. O contrário, ou seja, o uso de bebidas aumentando a percepção dos jovens às propagandas não foi sustentado pelos dados. Além disso, o uso do álcool foi maior em indivíduos do sexo masculino, com mais anos de estudo, mais horas de trabalho e não afro-americano. O mesmo foi evidenciado para o grupo de indivíduos de 15 a 20 anos e de 15 a 26 anos.

Conclusões do estudo
- Os anúncios de álcool tem uma presença marcante na mídia.
- O número de propagandas de bebidas destiladas estão aumentando com o passar do tempo.
- Jovens entre 15 e 26 anos de idade lembraram ter visto muitas propagandas de bebidas destiladas e de cerveja, principalmente na televisão.
- Quanto mais os anúncios são colocados nos meios de comunicação mais os jovens os percebem, porém o impacto sobre o aumento do consumo é pequeno.
- Ver mais anúncios apresenta um efeito maior no beber do que o contrário, ou seja, quem bebe não repara mais nas propagandas do que quem não bebe.
- O efeito da exposição dos jovens às propagandas de bebidas alcoólicas foi pequeno, mas na direção de um aumento do consumo.
- Os efeitos foram semelhantes entre os diversos grupos de indivíduos estudados.

Estes resultados são preliminares, estudos mais sofisticados darão mais consistência a estes achados.


Fonte: Baseado na metanálise realizada por Smith e colaboradores, in Blog Álcool de Drogas sem distroção

1 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom esse texto, me ajudou bastante em meus estudo!!